Rui Cruz disse que a plataforma digital (www.imocandidaturas.co.ao) concebida para a recepção das candidaturas está preparada para suportar inscrições até ao dobro do número de moradias disponibilizadas.
“E foi, exactamente, esse o cenário com que a Imogestin se deparou passado pouco tempo da abertura que, conforme prevista, se deu pontualmente as oito horas de quinta-feira (6)”, explicou.
Com detalhes de horas, minutos e nome dos primeiros inscritos, Rui Cruz garantiu existir transparência no processo, tendo alertado que novas candidaturas poderão ser recebidas em caso de as efectuadas não preencherem os requisitos exigidos pela Imogestin.

Visita de constatação

A ministra de Urbanismo e Habitação, Branca de Espírito Santo efectuou, na passada segunda-feira, visitas de constatação às centralidades do Capari e do KM 44, tendo no final revelado à imprensa que as residências estão em perfeitas condições
de serem comercializadas.
Em Capari, a ministra explicou que, nesta fase, estão em curso as obras das infra-estruturas externas, nomeadamente o sistema de energia eléctrica, água potável, drenagem de água pluviais e residuais.
A governante disse estarem identificadas as áreas para a construção de equipamentos sociais para a vida das populações e caberá ao governo provincial e nacional tratar a sua execução.
Por seu turno, o governador do Bengo, João Bernardo de Miranda, manifestou a sua satisfação pela qualidade das infra-estruturas na centralidade do Capari, por ser uma mais-valia para a população da província.
Quanto a centralidade do KM 44, a governante assegurou que encontra-se preparada para receber novos moradores, após a conclusão das infra-estruturas internas para a comodidade e segurança dos beneficiários.
A urbanização, que compreende apartamentos T3, conta com rede eléctrica, sistema de abastecimento de água, de drenagem, iluminação pública, espaços verdes e arruamentos, bem como estruturas sociais, o que permite a comercialização das residências nos próximos dias.
A via principal de acesso à localidade está a beneficiar de restauro. A empreitada termina este mês.
Em declarações à imprensa no final de uma inspecção à centralidade, realizada na passada segunda-feira, disse haver condições para a comercialização das habitações nos próximos dias.
“As obras estão praticamente concluídas. Há condições para que a Imogestin possa dar início, a venda das mesmas”, salientou, na altura a ministra do Urbanismo e Habitação, Branca do Espírito Santos.
Branca do Espírito Santo destacou, por outro lado, a existência, na centralidade do KM 44, de espaços reservados para a construção de estabelecimentos comerciais e de recreação.

Mais-valia

Por sua vez, o administrador municipal do Icolo e Bengo, Adriano Mendes de Carvalho, manifestou a sua satisfação com a conclusão das infra-estruturas, sublinhando que dentro de meses já será possível verificar habitantes na urbanização.
Adriano Mendes de Carvalho apelou à empresa responsável pela comercialização das casas a priorizar quadros locais.
“Queremos facilitar a vida dos nossos quadros e seria mais confortável que adquirissem residências nesta centralidade”, realçou.