A primeira pedra para a efectivação da empreitada, que terá a duração de 12 meses, foi lançada na semana passada, numa cerimónia presidida pelo governador provincial do Zaire, José Joanes André, e pelo presidente do Conselho de Administração da Imogestin, entidade gestora dos projectos habitacionais do Governo, Rui Cruz.
O projecto prevê a construção de apartamentos do tipo T3, que terão sala, duas casas de banho e uma pequena lavandaria.
Está prevista igualmente a construção de oito lojas, infra-estruturas para o abastecimento de água potável e energia eléctrica, sistema de drenagem das águas residuais, arruamentos, parques de estacionamento e zonas verdes.
As obras estarão a cargo da construtora nacional Omatapalo, que garante o recrutamento de mão-de-obra local para a execução deste projecto que vai ocupar o espaço da antiga pista de aviação de Mbanza Congo.
Esta é a primeira centralidade habitacional a ser erguida na província do Zaire. Ao todo, o projecto prevê 1.000 residências.

Responder a procura

Na ocasião, o governador provincial do Zaire, José Joanes André, afirmou que a construção da centralidade de Mbanza Congo vem responder aos anseios da juventude local em concretizar “o sonho da casa própria”, programa que há muito era aguardado pela juventude da região.
“A nossa juventude tem reiteradas vezes me colocado a questão da construção da centralidade na província, pelo que neste momento sentimo-nos satisfeitos pela concretização deste projecto”, acentuou.
Para José Joanes André, apesar da crise económica e financeira que abala o país, o Executivo angolano não cruzou os braços e avançou com este projecto habitacional que vai mitigar a problemática habitacional na região.
Considerou a construtora nacional Omatapalo, que vai executar a obra, de grande capacidade técnica e financeira, aliada ao facto de estar há alguns anos representada na província.
Louvou, por isso, a Imogestin por ter escolhido a referida empresa, assim como o sindicato dos bancos nacionais liderado pelo Banco Angolano de Investimentos (BAI), para dar cobertura financeira a este projecto.
A cerimónia de lançamento foi co-presidida pelo governador, José Joanes André e pelo PCA da Imogestin, entidade do Estado gestora dos projectos habitacionais, Rui Cruz.