Um universo de 42.884 habitantes dos municípios de Mbanza Kongo, Soyo e Nzeto, província do Zaire, já consome energia eléctrica da rede nacional produzida pela barragem de Cambambe, no Cuanza Norte, no âmbito do projecto de electrificação da região implementado pelo Executivo angolano.
Segundo a Angop, do total de consumidores, de acordo com o director da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) no Zaire, Pedro Estêvão, cinco mil 840 são do município do Nzeto, 14 mil 704 no Soyo e 22 mil e 300 em Mbanza Kongo.
O número de consumidores já beneficiados, equivale a 10 mil e 711 ligações domiciliares, segundo o responsável da Ende na província, em declarações à Angop.

Electrificação

Os municípios de Mbanza Kongo e Soyo dispõem de uma potência de 32 megawatts cada e 16 para o Nzeto, este último está a consumir apenas 1.5 desta potência.
A capital de Mbanza Kongo e Soyo estão a consumir do total disponível, sete e cinco megawatts, respectivamente.
Segundo o responsável, estão disponíveis nos referidos municípios, subestações eléctricas, com a potência que varia entre 400 e 15 Kvas.
A subestação do Nzeto, por exemplo, interliga duas linhas de transmissão de 400 KVA, que partem de Kapari (Luanda), até ao município do Soyo, inseridas também no projecto da Central do Ciclo Combinado a Gás do Soyo, que terá uma potência instalada de 750 megawatts, numa primeira fase.
Actualmente, a electrificação da província do Zaire iniciada em 2016 prossegue, podendo, nos próximos meses contemplar os municípios do Cuimba, Tomboco e Nóqui.
Com uma extensão de 40.130 quilómetros quadrados, a província do Zaire tem uma população estimada em 594 mil 428 habitantes, distribuídos pelos municípios de Mbanza Kongo, Soyo, Cuimba,
Tomboco, Nzeto e Nóqui.

Projecto estratégico

No quadro da sua política energética, o Executivo angolano projectou a controção do Ciclo Combinado do Soyo, que entre os inúmeros benefícios abrangem tanto a população do meio rural, como do meio urbano, desde a província do Zaire, onde se insere o projecto, estendendo-se a todo o território nacional, com particular destaque para as províncias do sistema norte, Luanda, Bengo, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Uíge, Malanje e Zaire.