O Ministério da Cultura avançou, esta semana, em Luanda, que, apesar de ter manifestado o seu interesse em participar na 58.ª edição da Exposição Internacional de Arte - Bienal de Veneza 2019, em Itália, não foram reunidas as condições e garantias para a participação do país neste evento.
Num comunicado de imprensa enviado à Angop, o departamento ministerial adianta que razões de ordem conjuntural ditaram a redefinição dos orçamentos e prioridades para o sector da cultura ao nível nacional.
“O Ministério da Cultura reafirma o seu compromisso de continuar a criar as condições para a participação de Angola em eventos internacionais, desde que se mantenha salvaguardada a sua boa imagem e o prestígio já granjeado”, lê-se no documento.
Angola tem participado nas edições da Bienal de Veneza desde 2013, tendo na altura ganho o Leão de Ouro, o maior galardão atribuído ao pavilhão de um país.
Reafirma o seu compromisso de continuar criar as condições para a participação de Angola em eventos internacionais, desde que se mantenha salvaguardada a sua boa imagem e o prestígio já granjeado.
A Bienal de Veneza é, há mais de um século, o mais importante e prestigiado evento cultural e artístico do mundo e desde a sua fundação tem estado na vanguarda da pesquisa e promoção de novas tendências artísticas, entre as mais importantes a nível mundial, no ramo das artes contemporâneas e da arquitectura.