Os artistas brasileiros da cidade de São Paulo presentes na primeira troca de experiência com jovens angolanos residentes em Benguela, no âmbito do projecto Raízes, mostraram-se satisfeitos pelo fortalecimento do intercâmbio cultural entre Brasil e Angola.
Ao fazer o balanço recentemente, a coordenadora da delegação brasileira, Juliana Borges, considerou positiva a participação dos artistas angolanos no programa elaborado, o que permitiu enriquecer o conhecimento cultural dos povos de ambos os países.
Reconheceu que, o ambiente permitiu o despontar de artistas que começaram a acreditar mais na sua arte.
Por essa razão, salienta que a intervenção do projecto Raízes junto dos criadores angolanos na província de Benguela ultrapassou as expectativas. “Recebemos de volta muito amor, carinho e agradecimento”, acrescentou.
Já a antropóloga brasileira, Rosa Falzoni, emocionou-se pela oportunidade de estar em Angola, particularmente em Benguela, “por toda a história de irmandade entre os dois países” e acredita que as oficinas de elaboração de projectos realizadas com salas cheias satisfazem os artistas.