Em inglês “Crown Jewels of the United Kingdom”, são vestimentas e símbolos usados pelos soberanos britânicos durante a coroação e nas demais cerimónias de Estado.
A colecção inclui numerosos ceptros, coroas, orbes, espadas e anéis, sendo uma das mais extensas colecções reais da actualidade. Grande parte destes ornamentos foram adquiridos pelos reis antes do século XV, constituindo assim objectos de imenso valor histórico. Parte dos itens da colecção são utilizados nas cerimónias de coroação, na cerimónia de abertura do Parlamento e em baptismos.
Quando em desuso, as jóias são exibidas publicamente na Jewel House, uma secção da Torre de Londres, onde podem ser apreciadas por milhões de visitantes anualmente. Apesar de integrar a Royal Collection e pertencer à Coroa, a colecção das Jóias da Coroa não pertencem directamente ao ocupante do trono.

Coroas mais importantes:
Coroa de Santo Eduardo
Confeccionada em 1661 e usada em todas as cerimonias oficiais. É representada no Brasão do reino Unido, sendo o mais reconhecido símbolo da realeza britânica.

Coroa Imperial do Estado
Confeccionada em 1937 para uso de Jorge VI nas cerimónias oficiais, em substituição à Coroa de Santo Eduardo. A versão mais recente é semelhante à delicada coroa de diamantes usada pela Rainha Vitória a partir de 1838.
Coroa Imperial da Índia
Foi confeccionada para uso de Jorge V durante a Delhi Durbar de 1911. Simbolizou o domínio britânico sobre a Índia.

Diadema de Estado de Jorge IV
Foi fabricada especialmente para a rainha Alexandra durante a coroação de Jorge IV, na coroação da Rainha Vitória e mais recentemente de Elizabeth II. Ainda é usada com frequência na cerimónia de abertura do parlamento.