sétima edição da feira do livro denominada "Fevereiro do Amor", com a exposição de mais de dois mil e 200 exemplares de vários autores, dedicados ao amor, caridade, paz e compreensão no seio familiar, foi aberta esta semana, na província de Benguela.

Segundo Graciano Catumbela, promotor da feira que terminou dia 14, data dedicada aos namorados, a ideia de realização do evento surgiu do facto dos relacionamentos interpessoais, com destaque para os conjugais, andarem "adoentados", com muitas pessoas a preocuparem-se mais com o lado material, daí resolverem exaltar a afectividade destacada em muitas das obras.

"Sabemos que neste dia (14 de Fevereiro) as pessoas procuram oferecer bens materiais, nomeadamente carros, relógios, motorizadas, quadros, entre outros bens e, tendo em conta o princípio segundo o qual "quem lê um livro nunca mais será a mesma pessoa", os organizadores resolveram trazer aos cidadãos, no dia dedicado a São Valentim, a possibilidade de obterem um livro que pode mudar as suas condutas e das famílias", frisou.

Acrescentou que as mensagens implícitas nos livros podem ajudar pessoas de várias idades a adoptarem condutas exemplares, tanto no período de namoro ou mesmo vivendo já em comunhão familiar.

Graciano Catumbela adiantou que na presente edição da feira decidiu-se aliar o artesanato à literatura, para dar possibilidade de se unir o "útil ao agradável", podendo os interessados adquirir algumas peças do seu interesse. Entre as editoras representadas, realce para a "Texto editora", "Edições Jean Piaget", "Acácia Editora", além de autores locais.

O promotor disse que, por se tratar de um período que coincide com o início de aulas, além do romantismo, os feirantes colocaram à disposição do público alguns livros académicos, mormente os referentes ao direito, pedagogia, história, língua portuguesa, dentre outros.