O consagrado músico angolano Calabeto festeja este ano 55 anos de carreira para assinalar a data, a Nova Energia prepara um duplo concerto no Show do Mês, nos dias 4 e 5 de Agosto, no hotel Royal Plaza (Luanda). Em cerca de duas horas, o músico vai passar os seus maiores sucessos e alguns temas inéditos, num evento que deverá contar com muitas surpresas.
A organização do show esmera-se nos detalhes, por forma a garantir que a festa de 55 anos de carreira do kota Bué, como também é conhecido, seja memorável.
António Miguel Manuel Francisco “Calabeto” nasceu aos 3 de Abril de 1945 em Luanda. Começou a dar os primeiros passos na música entoando cânticos religiosos. Mais tarde junta-se a uns amigos no Rangel, bairro onde residia, e formam o grupo musical “Turma do trio de Janeiro”, pois eram assim que os grupos se dominavam na época (Turmas), isto em 1958.
Em 1959 muda-se para o Zangado, onde o seu amigo Mateus Pelé do Zangado o encoraja a formar o grupo “Kisselengenha”. Em 1962, a convite do seu irmão mais velho Honorato e o amigo José Maria Kianvulanga, formam o grupo musical “Muzangola”, destacando-se como vocalista, tendo gravado um single pela gravadora Valentim de Carvalho, onde constam as músicas “Kalombolo” e “Mana ngo Diondo”, canções que na época fizeram bastante sucesso.
Em 1965 ingressa nas Forças Armadas Portuguesa, no cumprimento do serviço militar obrigatório. No entanto, era sempre chamado para animar as sessões culturais.
Em 1970 foi convidado a ser o vocalista principal do conjunto “Águas reais”, onde permanece até a dissolução deste. No mesmo ano vence o Festival da Canção de Luanda.
Em 1974, acompanhado pelo grupo “Semba” e alguns membros dos “Kiezos”, grava um disco a solo. De seguida é convidado pelos Kiezos e repartir a liderança vocal com o malogrado Juventino. No mesmo tornou-se membro da orquestra Kissangela, onde permaneceu até a sua extinção.
Da sua carreira musical, destacam-se as várias participações no Top dos Mais Queridos, terminando sempre nos lugares cimeiros.
Com a sua voz sempre afinada, segundo os críticos, Calabeto é também conhecido pela sua jinga, que deu origem ao apelido de “Kota Bué”.