As repúblicas de Angola e Cabo Verde manifestaram esta semana, em Cabinda, a intenção da apresentação de uma candidatura conjunta à Unesco para a elevação do ex-Campo de Concentração de Tarrafal a património mundial.
A intenção consta de uma declaração conjunta assinada pela ministra angolana da Cultura, Carolina Cerqueira, e o seu homólogo de Cabo Verde, Abraão Vicente, à margem de uma sessão de trabalho do VI Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Cultura (Mincult).
Carolina Cerqueira afirmou que, por se tratar de um local de memória colectiva, é essencial que os dois países apostem no trabalho conjunto para a sua elevação como património mundial.
O ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, disse ser obrigatório que os dois países trabalhem juntos tendo em conta a história que os une.
Formalmente instituído pelo regime fascista português, a 23 de Abril de 1936, sob a designação de Colónia Penal de Cabo Verde, o Campo de Concentração de Tarrafal recebeu, numa primeira fase, até 1954, arbitrariamente e sem qualquer direito de defesa, 340 presos políticos portugueses.