Por estes dias, a capital chinesa foi o centro de todas as atenções na indústria automóvel. Novos modelos e protótipos futuristas dominaram as luzes da ribalta no Salão Automóvel de Pequim.

O Salão Automóvel de Pequim, que decorre desde 25 de Abril hoje, 4 de Maio, e foi uma "montra" para os grandes fabricantes mundiais e para start-ups que apostam nos carros eléctricos. Todos querem conquistar o maior mercado automóvel do mundo.

Este ano, destacam-se as numerosas propostas no segmento dos SUV eléctricos, bem como os desportivos de luxo, tradicionais e "concept", que fazem sonhar os amantes da velocidade.

A BMW apresentou o "concept" iX3, o seu primeiro SUV eléctrico, que deverá começar a ser produzido em 2020. O iX3 será fabricado na China, num sinal de que a marca bávara aposta claramente no mercado chinês e que acredita que os europeus estarão preparados para comprar
carros "made in China".

A BMW já havia indicado que planeava lançar pelo menos 12 modelos completamente eléctricos até 2025. A marca germânica também revelou o 8 Series concept e o futurista i Vision Dynamics. O grupo chinês FAW apresentou um protótipo do
desportivo eléctrico E-Jing GT.

A Byton também chamou as atenções com o Byton concept T, um "concept" eléctrico que conta com um ecrã de 49 polegadas com comandos por gestos e voz.

A Lincoln apostou no luxuoso Aviator para cativar os clientes de segmentos mais elevados. Enquanto, os Mercedes Maybach S680 e Ultimate Luxury são dos exemplares mais luxuosos em exposição. A Mercedes-Benz apresentou também o Concept EQA.

A Nio, uma start-up chinesa, revelou algumas propostas ousadas em veículos eléctricos de luxo, casos do desportivo
EP9, do ES8 e do Eve Concept.

O desportivo eléctrico K50, da Qiantu, também foi uma das estrelas a brilhar em Pequim. O K50, que tem uma velocidade máxima de 200 km/h, deverá começar a ser vendido já em Julho.