De acordo com uma nota do Ministério da Cultura enviada às redacções, o evento visa, entre outros objectivos, contribuir para o resgate, preservação e divulgação dos valores culturais das comunidades rurais do país, contribuir para a divulgação da música tradicional angolana e colocar na agenda cultural nacional a música tradicional feita pelas comunidades rurais.
Para o efeito, a primeira edição do concerto conta com a participação de artistas individuais e grupos das províncias do Cuanza Norte, Malanje, Bengo e Uíge.
Refere-se que em Angola, cada estilo de música apresenta-se com um estilo particular de dança. Logo, não se pode dissociar a música da dança, dado se tratar de duas manifestações culturais intrinsecamente ligadas.
“As danças tradicionais assumem uma presença impar no quotidiano do povo angolano, sendo um produto de um contexto apelativo, que desde cedo o indivíduo interioriza, às estruturas rítmicas da música nacional”, lê-se.
O documento advoga ainda que apesar da presença constante da música e da dança no dia-a-dia do cidadão comum, tem-se notado uma desvalorização crescente dos ritmos tradicionais, favorecendo os mais modernos e outros ritmos e estilos sob influência de outras culturas - aculturação, que precisam ser resgatados e permanentemente valorizados em toda extensão do território.