Quando a Disney pagou usd 4 bilhões pela Lucasfilm, há seis anos, muitos se perguntaram quanto tempo a empresa levaria para recuperar o investimento. E depois de quatro filmes lançados nos cinemas, nós temos a resposta. De acordo com a rede CNBC, as produções de Star Wars feitas pela Disney arrecadaram usd 4,8 bilhões apenas com a bilheteiras.
Essa conta, no entanto, não leva em consideração os cerca de usd 250 milhões, em média, que o estúdio gastou para fazer cada filme. Mas esses são números facilmente compensados por outras formas de arrecadação, como produtos licenciados, brinquedos, livros e Blu-ray. É o que diz o analista de media Paul Dergarabedian. Para ele, essa foi uma das aquisições mais inteligentes da história.
É um valor que poderia ter sido recuperado ainda mais rapidamente se “Han Solo: Uma História Star Wars” não tivesse resultados tão abaixo dos filmes recentes da franquia. Enquanto todas as três produções anteriores ultrapassaram a marca de usd 1 bilhão de arrecadação nas bilheteiras, com “O Despertar da força” batendo os usd 2 bilhões, o filme que mostra a origem de Han Solo não chegou aos usd 500 milhões.
Para Dergarabedian, o facto de que o último lançamento de Star Wars foi considerado por muitos como um fracasso é apenas um sinal de como tudo que envolve a franquia é elevado a outro patamar. Ele afirma que “Solo” foi um sucesso e fez muito dinheiro, mas empalidece na frente dos resultados esperados de produtos que levam o nome Star Wars.
Com o último filme da trilogia actual marcado para chegar aos cinemas em dezembro de 2019, outras duas trilogias estão em produção na empresa. Uma delas será comandada por Rian Johnson, director de “Os Últimos Jedi”, enquanto a outra ficará a cargo de David Benioff e D. B. Weiss, produtores de “Game of Thrones”.