A Embala Ekovongo, localizada 12 quilómetros a Sudoeste do Cuito, província do Bié, ganhou o estatuto de monumento histórico cultural nacional.
O acto, realizado à margem da jornada do Dia do Herói Nacional, foi visto pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, que visitou durante duas horas o local e depositou uma coroa de flores no túmulo das autoridades tradicionais que lutaram contra o colonialismo português.
Bornito de Sousa, que também ofereceu quatro cabeças de gado bovino e motorizadas, televisores, geradores e instrumentos agrícolas, símbolos que autorizam uma entidade de Estado visitar o local, recebeu ainda informações sobre o sítio denominado “Acocoto”, lugar onde jazem cabeças de sobas. Nesta área não é permitida a entrada de pessoas estranhas sem deixar oferendas, sob pena de serem “praguejadas”. No referido lugar, conforme apurou a Angop, não é permitido ainda a entrada de mulheres em período menstrual ou gestantes, uma vez que, a acontecer, de acordo com as autoridades tradicionais, resulta na morte da mãe ou do bebé ou senão mesmo causar transtornos mentais, tanto ao recém-nascido como à mãe.
O governante, que se mostrou impressionado com o historial da Embala Ekovongo, assegurou que o Executivo, através do Ministério da Cultura, vai prestar maior atenção de forma a se dignificar o simbolismo que ela carrega.
O Vice-Presidente recomendou às autoridades tradicionais responsáveis pelo espaço no sentido de preservarem a cultura, bem como a transmitirem às novas gerações a verdadeira história do Ekovongo, para a conservação de conhecimentos, bem como para a preservação da sua tradição e costume.
Na ocasião, o director nacional adjunto do Instituto Nacional do Património Cultural, Emanuel Caboco informou que, a província do Bié passa a contar com cinco monumentos situados nos municípios do Andulo e Cuito.