O cliente compra um pacote que varia entre 100 dólares (fotos) e 200 dólares (vídeos), posa durante duas horas dentro do jacto e depois arrasa no Instagram, exibindo uma riqueza falsa. O avião nem sequer levanta voo. É esse o modelo de negócios da Private Jet Studio, mais um exemplo de como a internet pode encher o bolso de quem tem boas ideias – e os olhos de quem vive nas redes sociais.
O avião utilizado pela empresa, que fica em Moscovo, é nada menos que um Gulfstream G650, jacto que custa 65 milhões de dólares. O cliente pode contratar o serviço já com fotógrafo e maquiador ou ir pronto e usar o seu próprio equipamento. Há também um helicóptero, caso a pessoa queira diversificar a riqueza fake.
Nos Estados Unidos, no fim do ano passado, o artista Matty Mo reproduziu o interior de um avião numa loja Fred Segal. Nesse caso, a proposta era alertar as pessoas sobre o perigo de acreditar em tudo que se vê no Instagram.