O escritor Albino Carlos defendeu esta semana, em Luanda, maior valorização dos músicos face ao contributo que têm prestado à valorização da identidade cultural angolana.
Em declarações à Angop à margem de uma tertúlia com alunos de diversas instituições escolares sobre a cultura angolana no Centro Cultural Brasil/Angola, Albino Carlos afirmou que a área musical angolana tem sido injustiçada devido a não valorização e a falta de percepção da importância que tem na estrutura matricial
da identidade nacional.
O escritor referiu ainda que a música angolana tem evoluído substancialmente nos últimos tempos e conquistado espaço a nível internacional, não só na sua dimensão mais tradicional, mas também urbana, o que demonstra uma certa abertura a nível da globalização.
A título de exemplo, Albino Carlos fez referência ao Kuduro e ao Kizomba que hoje conquistaram o mundo, por se tratar de músicas e de estilos que resultam de diálogo e grande influência cultural nacional. O escritor referiu ainda que a música angolana atravessa todas as facetas da vida, uma vez que através dela se pode contar e perceber a história do país.