O Centro Cultural Camões, em Luanda, acolhe, desde terça-feira, a exposição de Arte Contemporânea denominada “Eu em Angola”, por ocasião dos 30 anos de cooperação entre a União Europeia e a República de Angola e termina no dia 18 de Fevereiro do corrente ano.
O certame que contou também com a presença do chefe da delegação da União Europeia no país, embaixador Tomas Ulicny, que patrocina a colecção, é uma exposição que junta dez artistas plásticos, entre pintores angolanos e europeus, que apresentam uma colecção de quadros e fotografias.
Os angolanos Délio Jasse, Ana Silva, Kiluanji kia Henda, Januário Jano, Keyezua, João Ana e Elepe , Binelde Hyrcan , assim como o francês François Beaurain e da portuguesa Rita Gt, apresentam vários temas, retratando essencialmente os aspectos ligados às vidas sociais europeia e africana, por meio de gravuras, como “Os detalhes que nos transformam” , “Beyond here are Lies”, “12 estrelas de gratidão” , “ Brexit“ , “Eurwanza“, “Below the Sking”, “Untittled”, “Bossman “ e “Xé, vamos juntos” desta última da curadora da exposição Lola Keyezua.

Técnicas utilizadas
Para esta exposição, segundo a curadora da actividade, os artistas usaram técnicas mistas e utensílios como a fotografia, sacos de plásticos, tecidos e óleo sobre tela.
Lola keyezua, explicou que a exposição explora a relação entre África e Europa, antes e depois do colonialismo, através do olhar de dez artistas contemporâneos jovens, salientado que nesta amostra cada criador explorou as influências sócias, políticas, económicas e culturais da sua realidade.
Lola Keyezdisse ainda que além da reflexão sobre a cooperação entre a União Europeia e Angola, ela examina também os laços entre as duas realidades, bem como os seus efeitos na vida das pessoas e das comunidades.