O projecto semanal “Quartas musicais” encerrou o ano com o concerto do músico Filipe Mukenga, que aconteceu, esta semana, na Casa da Cultura Njinga Mbande, no distrito urbano do Rangel. Durante duas horas, o cantor revisitou a sua discografia de 53 anos de carreira, com o suporte de uma banda integrada por artistas nacionais, e ainda contou com convidadas como Selda e Anabela Aya.
O concerto é o primeiro do artista depois da sua passagem pelo hospital Josina Machel onde foi submetido a uma complicada cirurgia. Aquela casa de cultura receberá ainda cantores da orquestra Maria Carolina, do Libolo (Cuanza Sul), Kizua Gourgel e Gabriel Tchiema.
O cantor e compositor, Filipe Mukenga, nasceu em Luanda, a 7 de Setembro de 1949) e começou a tocar em 1964 por influência dos Beatles. Ele colaborou com grupos como: Os Brucutus, os Indómitos, The Five Kings, The Black Stars, Os Rocks, os Electrónicos, os Jovens e Apollo XI.
Mukenga gravou o seu primeiro álbum, “Novo Som”, em 1990 para a editora EMI-Valentim de Carvalho. Colaborou ainda num dos temas do disco “Mingos & Os Samurais” de Rui Veloso. Em 31 de Maio de 1991 actua, conjuntamente com Os Tubarões, no Coliseu dos Recreios. O “Kianda Kianda”, segundo álbum do cantor, foi gravado em Paris para a editora Lusáfrica e lançado em 1994.
Em 1996 é gravado o lítero-musical intitulado “O canto da sereia: o encanto” em que é co-autor com Filipe Zau. Outros cantores presentes no disco são Carlos Burity, Katila Mingas, Paulo Flores, Dino, Eduardo Paim e Fernando Tordo. Colabora também no disco “Luanda lua e mulher” de Filipe Zau.
O tema “Eu vi Luanda” é incluído na banda sonora do projecto “O mar: a música dos povos de língua portuguesa” dos brasileiros Oboré. É um dos nomes escolhidos para a compilação “África em Lisboa” lançada pela EMI no ano de 1998.