A Fórmula 1 planea usar tecnologia de nuvem e o aprendizagem de máquina para fornecer estatísticas e previsões mais atraentes para os fãs que assistem corridas na televisão e nas plataformas digitais.
A tecnologia pode ajudar a modalidade a analisar dados em tempo real para fazer previsões sobre os resultados das corridas, assim como explicar as tácticas adoptadas por cada equipa.
Contratada como parceira oficial, a gigante da nuvem Amazon Web Services (AWS) vai usar essa tecnologia de processamento de dados para entregar dados de maneira mais significativa
para fãs e comentaristas.
Cada carro gera enormes quantidades de informações que as equipas usam para optimizar as suas estratégias, e é esse banco de dados que a Liberty Media acredita que pode ser transformado em algo valioso para o público. Afinal de contas, este é um desporto que diz usar os big datas desde antes da existência do termo.
Dados melhores
Os cientistas de dados usaram 65 anos de histórias de corrida para treinar os modelos de deep learning (aprendizagem profunda), que podem fazer previsões e dar aos fãs uma visão do motivo de uma equipa adoptar uma estratégia específica, que esta tecnologia será capaz de fornecer.