Acreditando na convergência de tecnologia, ciência dos materiais e forma orgânica inteligente para criar uma nova estética do século 21, ele agora aparece a revolucionar o sector de perfumes. Após pesquisas contínuas, o pioneiro totalmente em sintonia com o mundo digital em que vivemos hoje projectou três frascos de perfume de metal impressos em 3D para a Fórmula 1, estreando no Grande Prêmio de Abu Dhabi deste ano.
Anteriormente impossível de fabricar, os objectos esculturais cheios de emoção que incorporam o espírito da F1 parecem originados do futuro. Nada assim foi visto antes, pois não podem ser criados por nenhum outro método. “Esses projectos só são possíveis na sua complexidade por meio dessa nova tecnologia: impressão 3D aditiva”, observa Lovegrove. “O problema é que, entre a impressão metálica de titânio e a variante de aço inoxidável, eles são quase impossíveis de copiar porque são tão complexos, como um carro de F1, por isso é uma forma de design autoprotetora e autodefinida.”
Em vez de adotar uma forma óbvia como a de um carro de F1, Lovegrove se recusou a ser previsível e optou por uma estética que é alta tecnologia refinada, da mesma forma que os carros de corrida mais recentes apresentam o estigma de arte e sofisticação. Este frasco agora lançado custa 10 mil dólares norte-americanos.