Nos últimos anos, estar em forma passou a ser um conceito com uma base de adeptos cada vez mais alargada em Angola. Os sinais estão um pouco por todo o lado, praticar desporto hoje em dia está na moda, desde corredores, ciclistas pelas ruas e o pessoal dos chamados Gym.
Embora não haja dados oficiais sobre o número de ginásios abertos no país, acredita-se que a maior parte das mulheres angolanas pratica exercícios físicos. Ou como se diz na gíria frequentam o ginásio.
Durante a ronda feita pelo JE, em alguns ginásios da cidade e arredores da capital, constatou-se que em cada um dos locais e exercício há pelo menos um número de três a oito mulheres à busca de cintura fina, pernas grossas e uma bunda empinada.

Mulheres em massa
Mulheres de todas as classes sociais estão lá à procura do melhor corpo, da melhor silhueta, porque frequentar os famosos gym, para ter um corpo esbelto, secar a barriga e ganhar musculatura é (top).
Muitas fazem a prática sem nenhum acompanhamento de um profissional da área e nem tão-pouco de nutricionista. O que importa mesmo é encontrar um gym que dê garantias para uma mudança rápida e drástica, às vezes até com uso de substâncias prejudiciais à saúde.
Marta Cardoso, de 26 anos, afirma ser viciada na prática de exercícios que faz há seis anos, com um corpo de sereia e toda definida do tipo que “mata homem”. A mesma explica que fica no ginásio das 05h30 às 11 horas, num período de quase sete horas por dia. A mesma acrescenta ainda que se alimenta de muita verdura, acompanhada com sumos naturais que a mesma confecciona em casa.
“A primeira coisa que faço ao acordar é beber um copo com água para acelerar o metabolismo, assim evito criar situações inesperada, porque o corpo funciona melhor quando temos água dentro de nós e por outra preciso ganhar disposição antes de começar com os exercícios. Gosto de sentir-me bem, sentir-me musa, ter cintura fina e uma bunda no alto, porque pago 18 mil mensal,só para manter o meu corpo”,sublinha.
Já Patrícia da Cunha , estudante universitária, afirma que precisa pelo menos praticar exercícios físicos três vezes por semana, durante duas horas, e que o seu objectivo é apenas manter a boa forma que já possui.
“Pago quatro mil kwanzas por duas horas, o que acho razoável porque, na verdade, não me considero viciada em praticar actividades físicas, porque o que importa mesmo é manter o meu corpo”, disse.

Anabolizantes
Há tempos que são conhecidos os benefícios que os exercícios físicos podem trazer à saúde, desde que praticados de modo correcto, para uma boa qualidade de vida.
As vantagens fisiológicas são evidentes, porque estas melhoram o sistema circulatório e imunológico, para uma melhor eficiência cardíaca, taxas de oxigénio no sangue, fortalecimento muscular e dos ossos, alívio nos sintomas da menstruação ( TPM), além de redução da pressão arterial, dos níveis de lipídios e glicose, entre outros. Mas, o desejo de ganhar um corpo grande num curto espaço de tempo faz com que muitas jovens submetam-se à pratica de exercícios físicos diariamente durante horas e com uso de anabolizantes.
Diogo Panzo, personal trainer do ginásio Helton trainer, explica que uma mulher (top) não é designada pelo tamanho corporal, que a mesma adquire com uso de substâncias não apropriadas, mas sim pela quantidade de músculos trabalhados que tiver.
Segundo o preparador físico que trabalha há 15 anos na área, muitas mulheres assim como homens têm feito o uso dessas substâncias hoje e que esquecem-se do futuro.
“Tanto os homens como as mulheres precisam de ter cuidado ao fazerem o uso de anabolizantes e outras substâncias, porque o dano pode ser fatal. Amanhã podem querer ter filhos e com o uso dessas substâncias e cirurgias a que são submetidas podem estragar tudo”, aconselha.

Desmotivação
Para ele, muitas sentem-se desmotivadas ao iniciar a actividade sozinhas. Além disso, começar a praticar exercícios físicos a partir de uma certa idade é visto como um entrave para algumas mulheres. Por outra, a maior parte das mulheres não pratica exercícios, às vezes por falta de tempo, disposição e dinheiro.
Já o preparador físico Leonel Almeida, que exerce a função há 23 anos, explicou que no seu ginásio alguns jovens insistem em fazer o uso dessas substâncias para terem pernas bem trabalhadas, onde aplicam esteróides. Para ele, este grupo de medicamentos, também vistos como anabolizantes, é muitas vezes utilizado por atletas a nível mundial, o que para Angola é ainda um tabu, por ser considerado um tipo de droga.E aconselha a ter-se mais cautela na hora da utilização dos mesmos.
“Temos a população que está a envelhecer e que quer viver com mais qualidade, porque a esperança média de vida está a aumentar e as pessoas não querem viver à base de medicamentos. Esse segmento de mercado está a aumentar muito e sentimos isso, sobretudo, nos ginásios que temos em zonas mais residenciais. Depois temos a população mais jovem, que está cada vez mais a despertar para as questões da saúde e do bem-estar”, sustentou
O responsável disse que, durante as actividades físicas, o corpo libera a serotonina e a endorfina, substâncias relacionadas à sensação de bem-estar, pois auxiliam na regulação do sono, na diminuição do stress e da ansiedade, assim como do mau humor