O maior festival de teatro local, realizado anualmente pelo colectivo d’Artes Nzoji Yeto, no âmbito das festividades da cidade do Uíge, conta, neste ano, com a participação de 22 grupos de teatro das províncias do Bié, Cuanza Sul, Bengo, Luanda, Lunda Norte, Benguela e os anfitriões.
O director do colectivo de artes Nzoji Yeto, Domingos Nicolau, que prestou a informação, esta semana, à Angop, disse que de Luanda participam os grupos Cia Tic-Tac, Etu ni Nzambe, Dois 100, Samba ya Njila, São Lucas e Amazonas-Teatro, com as peças “Jimbandi - a peste da vingança”, “a prisioneira”, “recuso-me a ir tão cedo” e “solteiro cobiçado”.
Das províncias do Bié, Benguela, Bengo, Lunda Norte e Cuanza Sul estão presentes os grupos, Jovem e o livro, Bismas-Teatro, Sementes de artes, Nosso é vosso e Zwela kidi, respectivamente, ambos com as peças “o casamento da filha do soba”, “o armário e a cama”, “na paragem do destino”, “watala mu ndo” e “páginas da vida”.
Em relação a província anfitriã, disse que conta com onze grupos, sendo três dos municípios da Damba, Negage e Songo e os restantes do município sede (Uíge).
O responsável assegurou ainda que estão criadas as condições para que todos os grupos possam mostrar as suas habilidades em artes cénicas, lamentando a falta de patrocínios e apoios.
“Nunca tivemos um patrocínio de nenhuma organização quer governamental como privada”, desabafou, apelando as pessoas e organizações de boa-fé a apoiar a iniciativa cultural local.

Sessões de teatro
A V Edição do FesteaUíge, a decorrer de 23 a 30 de Junho do corrente ano, no anfiteatro Junarci com duas sessões diárias, marca a sessão de abertura com a peça “Fogueira 27” de autoria do grupo organizador.

Objectivos do encontro
Domingos Nicolau referiu também que o FesteaUíge é de carácter participativo e interactivo e tem por objectivo massificar e desenvolver a arte na região, unir os artistas e tirar do anonimato os grupos não conhecidos, bem como ocupar os tempos livres da juventude e combater a delinquência juvenil.