Os relógios inteligentes aos poucos vão ganhando a confiança do mercado, mas uma das coisas que ainda incomoda bastante os usuários é a capacidade da bateria. A maioria dura dois ou três dias com uma única carga, mas quando o consumidor compra um gadget como esse ele espera por muito mais tempo de autonomia. Foi pensando justamente nisso que a Huawei deixou de lado o sistema operacional Wear OS, da Google, para usar uma solução “caseira”. A chinesa anunciou esta semana o seu novo wearable, juntamente com os smartphones Mate 20 e Mate 20 Pro.
O Watch GT tem um visual semelhante ao Watch 2, versão anterior que vem com o Android Wear, nome utilizado pela Google para o actual Wear OS. Ele se parece com um relógio tradicional, com uma armadura de aço e dois botões laterais. A maior diferença é que ele opera com o Lite OS e um processador dual-core que permitem ao smartwatch funcionar num nível de consumo mais baixo.