O rapper lidera a corrida aos prémios Grammy, atribuídos pela indústria norte-americana, numa edição marcada sobretudo pelo hip hop e pelo R&B e com a nomeação de alguns artistas a título póstumo.
De acordo com a lista de nomeados divulgada esta terça-feira, para a 60.ª edição dos Grammy, Jay-Z está indicado para oito prémios, entre os quais “Gravação do ano”, com “The story of O.J.”, “Actuação do ano” e “Álbum do ano” pelo disco “4:44”.
Bruno Mars segue com três nomeações por causa do álbum “24K Magic”, enquanto o rapper Kendrick Lamar (como álbum “DAMN.” e o músico Childish Gambino (com “Awaken my love!”) surgem também nas categorias consideradas mais importantes, de álbum, gravação e actuação. Além destes quatro artistas, para “Álbum do ano” compete ainda a cantora australiana Lorde, com “Melodrama”.
O tema “Despacito”, de Luis Fonsi e Daddy Yankee, que arrecadou recentemente quatro Grammy Latino, está também nomeado para os Grammy, em três categorias, mas em todas elas na versão que os músicos gravaram com o canadiano Justin Bieber.
Para o Grammy de “Melhor álbum de música alternativa” estão indicados “Humanz”, dos Gorillaz, e quatro outros discos de artistas que têm sido presença regular em palcos portugueses: “Everything now”, de Arcade Fire, “American Dream”, de LCD Soundsytem, “Pure Comedy”, de Father John Misty, e “Sleep well beast”, de The National.
Da longa lista de 84 categorias, que abrangem diferentes géneros musicais, do jazz à música clássica, do gospel aos audiolivros, sobressaem as nomeações de dois músicos que já morreram – Chris Cornell e Leonard Cohen -, ambos indicados para o Grammy de “Melhor Atuação Rock”. A cerimónia dos Grammy está marcada para 28 de janeiro em Nova Iorque.