O criador do iPod, Jonathan Ive, é apontado como o herdeiro da criatividade que marcou as inovações da Apple. Tratado agora por “Sir” Jonathan, enfrentou recentemente o seu primeiro grande teste como responsável máximo pelo “design” da marca ao revelar a sua visão para o futuro de alguns produtos da multinacional norte-americana.

O criador topo de gama da companhia adicionou um toque de “interface humano” ao hardware já existente. E, no encontro anual da Apple, em São Francisco, onde a fabricante do iPhone exibiu a sétima versão do seu sistema operativo iOS, os primeiros efeitos dessas mudanças começaram a ser conhecidos. O destaque, que se esperava que incluísse o lançamento do serviço iRadio e novos computadores Mac, vai para o facto de esta ser a primeira vez em mais de sete meses que a Apple apresentou novos produtos. A pausa, desde que o iPad Mini foi anunciado em Outubro de 2012, foi a mais longa da Apple. Desde então, a capitalização da bolsa da multinacional caiu quase um terço.

Esta semana, para desânimo de muitos adeptos da Apple que esperavam muitas novidades depois de tanto tempo sem notícias, as revelações ficaram-se por uma actualização do sistema operativo e de um Mac Pro. A visão de Jonathan para o iOS foi alvo de muitos rumores, como o de que adoptaria um visual muito mais simples e polido que acabaria com os padrões e ícones que imitam coisas reais, tais como prateleiras de madeira na loja iBook e mesas de poker de feltro verde no centro de jogos.

Desafios
Mas esse é apenas um dos desafios que o ‘designer’ britânico tem pela frente. ‘Jony’, como é apelidado, passa por conseguir um delicado equilíbrio entre a modernização de um sistema operativo com seis anos, que enfrenta a feroz concorrência da plataforma Android da Google, sem fazer mudanças radicais que irritem os fiéis clientes da maçã. Essa é uma estratégia distante da que era seguida antes por Steve Jobs, que dava de imediato a informação que deixava os consumidores curiosos pelas novidades.

Legado de Jobs
Os seguidores da Apple estão agora ansiosos para ver se o “designer” de 47 anos, encarado como o herdeiro da visão que Steve Jobs tinha para a companhia e os seus produtos, está preparado para subir ao palco e revelar as próximas grandes inovações.
A liderança do evento, que antes estava nas mãos de Steve Jobs, passou para Tim Cook e assim voltou a ser. As altas expectativas sobre Jonathan Ive, já eleito um dos mais influentes do planeta, desde a revista a ‘Time’ até ao MIT, têm justificação. O agora vice-presidente da Apple para o design e área industrial criou o leitor iPod e liderou a criação de outras estrelas da marca, incluindo o MacBook Pro, iMac, MacBook Air, iPod Touch, iPhone, iPad e o iPad Mini and iOS 7. Um currículo e uma identidade criativa muito próximos de Steve Jobs que reforçam essa aura de herdeiro e apontam-no como um potencial salvador da companhia - que o título de ‘sir’ com que o império britânico o agraciou só empola.