Em declarações à Angop, Kanguimbo Ananás disse que “Pétalas Rasgadas” espelha o seu mundo imaginário, retratando a beleza da mulher e os encantos das plantas, bem como de aspectos que marcam a sua vida familiar, numa obra com 63 páginas e mais de 25 poemas.
Já o livro “O regresso de Kambongue”, segundo a autora, é uma sequência da obra “O Avô Sabalo”, lançada em 2006, e retrata a história de um jovem (Kambongue) que depois de estar formado procura mostrar aos habitantes da aldeia onde nasceu que tudo pode ser transformado.
Assim, conta a escritora, tudo o que o jovem Kambongue aprendeu ensina as pessoas sem instrução, desvendando que o feio pode ser belo e que o deserto pode ser cultivado, desde que haja trabalho.
“Podemos tirar, como moral deste história, que é possível levar as pessoas a saberem que, independentemente da profissão que desempenhem, todos podem fazer algo para que se auto-sustentarem para que o país seja melhorado. Isso, desde que haja trabalho”, referiu.
Durante o acto presenciado pelo embaixador de Angola em Portugal, Marcos Barrica, a escritora agradeceu ao diplomata pelos ensinamentos transmitidos durante a sua formação.
Por sua vez, a apresentadora das obras, Isabel Bastos, disse que Kanguimbo Ananás é uma mulher de muita força e coragem e que nas suas obras transmite mensagens de amor e união, bem como de preservação da identidade cultural angolana. “Pétalas Rasgadas”, editada pela Tchingapy, teve uma tiragem, numa primeira fase, de 500 exemplares.
Kanguimbo Ananaz, psicóloga de formação e consultora social, nasceu no bairro Forte de Santa Rita, na província do Namibe.
É autora das obras “Seios do Deserto”, poesia, 2002, “Avô Sabalo”, conto infantil, 2006, “Soba Kangeiya” e a “Palavra”, conto infanto-juvenil, 2010, e “Regresso de Kambongue”, conto infanto-juvenil, 2011.s seus textos consta das antologias “O Amor tem Asas de Ouro”, poesia, 2004, “Todos Sonhos”, poesia 2006, “Entre a Lua”,”O Caos, o Silêncio e a Flor”, poesia 2011, e “Historias de Encantar”, conto 2011.