O Shooting brake é essencialmente, uma carrinha que troca um pouco do seu volume interior por um estilo mais elegante e atraente, com um preço que vai de encontro às exigências do mercado.
À venda já em todo o mundo, a segunda carrinha da gama Ceed, a mais importante da Kia, representa os interesses da marca sul-coreana no segmento C, o que mais vende no mercado europeu, sendo o segundo mais popular da marca.
Depois da Ceed SW, a carrinha convencional, a Kia lança agora a ProCeed, uma shooting brake, sinónimo de carrinha mais esguia e elegante, em que uma maior volumetria passa para o banco traseiro, conferindo ao modelo um estilo mais moderno e desportivo.
Tradicionalmente, as shooting brakes são exclusivo dos construtores premium, como a Mercedes, com a Kia a democratizarem a solução. Comparada com a Ceed SW, a Proceed é 0,5 cm mais comprida e mais larga, mas uns substanciais 4,3 cm mais baixa, daí resultando uma carroçaria mais fluída e desportiva. Mas o elemento mais diferenciador é a traseira, agora com uma menor inclinação de 64,2º, em vez dos 50,4º da Ceed SW, cujo portão traseiro é obviamente mais vertical.
Apesar desta concessão à estética, a shooting brake sul-coreana continua a oferecer uma bagageira generosa (594 litros), disponibilizando menos 34 litros do que a Ceed SW. Só dois níveis de equipamento.
A arrumação das carrinhas na gama Ceed é clara, com a SW a ficar com os preços mais acessíveis e os níveis de equipamento mais populares, respectivamente os SX e TX, para a ProCeed ser proposta nas versões GT Line e GT, a primeira com um look mais desportivo e a segunda com um motor mais potente para reforçar a sensação.
Por dentro, a shooting brake é ligeiramente mais pequena do que a Ceed SW – ainda assim maior do que a Mercedes CLA Shooting Brake, segundo o fabricante –, podendo ainda complicar o acesso ao interior dos condutores de maior estatura, como é típico deste género de carroçarias com os pilares mais inclinados e o tejadilho mais baixo. Contudo, a construção continua a ser robusta e os materiais melhores, uma vez que as versões GT Line e GT, entre outros atributos, revestem os bancos à pele, que no GT exibe pespontos a vermelho e em cinzento no GT Line. O equipamento de segurança e de ajudas ao condutor está agrupado num pack, que é proposto em ambos os casos. Motores entre 120 e 204 cv, à gasolina e diesel
As mecânicas ao serviço da ProCeed arrancam com o motor 1.0 T-GDi, uma unidade tricilíndrica sobre alimentada à gasolina com 120 cv, capaz de o levar até aos 190 km/h e aos 100 km/h em 11,3 segundos, anunciando 5,5 litros de consumo médio. Se este será o motor mais popular, acoplado a uma caixa manual ou automática de dupla embraiagem e sete velocidades (7 DCT).