Em declarações à Angop, após o término do Festival de Poesia e Letra, o responsável do grupo argumentou que pretende expandir a arte entre a juventude, por ser a franja da sociedade mais interessada pela inspiração.
O também poeta explicou que tem convidado alguns jovens interessados a fazerem parte do movimento literário “Lev’Art”, para demonstrarem a sua criatividade com vista a influênciá-los para praticarem essa arte.
Por seu turno, o poeta Arcanjo Cabinda, considerou o festival como sendo uma amostra da evolução das artes na região, onde o público também quer fazer arte, com destaque para poesia.
Já Mateus Chili e Joana Amadeu, presentes no festival de poesia, mostraram-se regozijados pela actuação dos artistas, principalmente, de forma como declamam.
Existente desde 2014, o Movimento “Lev’Art”, conta com mais de 20 membros dentre estes músicos, poetas, trovadores e dançarinos que dinamizam a arte através de acções e eventos culturais em diversos locais, direcionado para as diferentes faixas etárias.