Marrocos foi indicado na cidade de Lagos, Nigéria, pela Confederação Africana de Futebol (CAF), para organizar a fase final da quinta edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), de 12 de Janeiro a 4 de Fevereiro de 2018.
A decisão saiu de um encontro do Comité de Emergência da CAF, dirigido pelo presidente da entidade reitora do futebol continental, o malgaxe Ahmad Ahmad.
Na corrida à organização do CHAN’2018, Marrocos superou as propostas apresentadas pela Guiné Equatorial e Etiópia. Na reunião realizada a 23 de Setembro de 2017, o Comité Executivo da CAF decidiu concluir o processo de selecção de um novo país anfitrião para o torneio, devido à retirada do Quénia por não ter reunido os requisitos exigidos pela entidade reitora da modalidade.
Com esta decisão da CAF, os Faraós do Egipto estreiam-se na fase final da competição africana desde o início da prova em 2009, na Costa do Marfim.. Na eliminatória de apuramento para o CHAN’2018, os Faraós perderam com os Leões do Atlas do Marrocos, por 2-4, no computo geral de dois desafios.
Na primeira “mão”, as selecções empataram a um golo, enquanto no segundo os Faraós foram derrotados pelos Leões do Atlas, por 1-3, em Rabat. O prazo para a apresentação das candidaturas da organização da prova africana terminou a 30 de Setembro, tendo apenas propostas de Marrocos, Guiné Equatorial e Etiópia. O CHAN é uma competição que reúne 16 selecções nacionais, constituídas por jogadores escolhidos nos campeonatos dos respectivos países.
Com esta decisão administrativa, os Les Mourabitones apuram-se pela segunda vez para a fase final da prova africana, após participação na edição de 2014, na África do Sul. Além dos Leões do Atlas e Palancas Negras, estão também apurados os Cavaleiros do Mediterrâneo da Líbia, os Faraós, os Crocodilos do Nilo do Sudão, os Esquilos do Uganda, os Leões Indomáveis, os Diabos Vermelhos do Congo, os Nzalang Nacional da Guiné Equatorial, os Elefantes da Guiné-Conacri, Cavalos do Burkina Faso, Elefantes da Costa do Marfim, as Super Águias da Nigéria, o Chipolopolo da Zâmbia e os Bravos Guerreiros da Namíbia.