Um total de 12 países dos quatro continentes, mais de 30 companhias de teatro, incluindo o Núcleo Experimental de Teatro de Angola, 50 espectáculos em 12 palcos diferentes (quatro salas e vários jardins públicos) levam os organizadores a acreditar que esta edição do Festival Internacional de Teatro do Mindelo vai ser a mais participada de sempre.
Trata-se da 23ª edição em igual número de anos e ela ocorre entre 3 e 11 de Novembro, neste mês pela primeira vez para fugir à época das chuvas, que em Setembro pregou partidas à organização do certame, a Associação Artística e Cultural Mindelact.
Além de Cabo Verde, país anfitrião, actuam no Mindelo companhias, grupos e artistas de Angola, Argentina, Brasil, Espanha, Inglaterra, Japão, Moçambique, Portugal, República Checa, São Tomé e Príncipe e Senegal.
Cabo Verde é o país com mais grupos e companhias (dez), seguido do Brasil (seis) e Portugal, com quatro, nomeadamente Ana Sofia Paiva, Peripécia Teatro, Projecto Bulibaça e Um Colectivo. O Mindelact divulgou esta semana a programação definitiva, arriscando que esta “vai ser, provavelmente, a melhor de sempre”, e informou que em dois terços dos espectáculos a entrada vai ser livre. Os espectáculos principais vão ocorrer em quatro salas, designadamente no ALAIM (Academia Livre de Arte integrada do Mindelo), no Centro Cultural do Mindelo, na Academia de Música Jotamont e na gare
marítima do Porto Grande.
Além disso haverá um conjunto de performances e a já tradicional programação destinada a crianças, bem assim o ciclo internacional de contadores de estórias e espectáculos em vários jardins públicos da cidade e em zonas mais afastadas, designadamente nas aldeias piscatórias da Salamansa e de São Pedro, de modo a fazer chegar o teatro a toda a gente. O Festival Off, também já tradicional, vai decorrer no pátio do Centro Cultural do Mindelo, tendo como tema, nesta edição, a “Violência baseada no género”.
A associação artística e cultural – Mindelact é uma organização não-governamental de carácter artístico e social, sem fins lucrativos e que visa essencialmente o desenvolvimento e a promoção das artes cénicas em Cabo Verde, pondo a tónica na organização de actividades directa ou indirectamente ligadas ao teatro cabo-verdiano.
A Associação congrega no seu seio agentes teatrais de grupos de teatro de Cabo Verde e pessoas singulares de quase todos os quadrantes da vida artística e social cabo-verdiana, para além de um significativo número (cerca de 80 por cento) de jovens. A Associação Mindelact foi formada em 1996 e foi reconhecida como pessoa jurídica em 27 de Fevereiro de 1997.