O Ministério da Cultura destacou esta semana, em Luanda, os profissionais do audiovisual para a consciencialização, conservação e valorização do documento audiovisual, um instrumento de identidade cultural.
Em mensagem enviada à Angop no âmbito do 27 de Outubro, Dia Mundial do Património Audiovisual, o departamento ministerial aponta a área como uma pedra angular da memória e do património que permitirá as futuras gerações conhecer e defender a cultura e a história angolana.
O ministério reconhece o património audiovisual como fonte de conhecimento que reflecte a diversidade cultural, social e linguística, representando uma herança inestimável para a afirmação da memória colectiva, felicitando, por esta razão, os arquivistas e documentalista, produtores e coleccionadores da obra audiovisual.
Na mensagem enaltece também o esforço, empenho e dedicação de todos aqueles que têm a nobre missão de preservar o património audiovisual angolano.
Há 37 anos o mundo comemora o 27 de Outubro, Dia Mundial do Património Audiovisual. A data foi instituída em 1980 na XXI Assembleia Geral de Belgrado, na qual a Unesco adoptou a recomendação para a salvaguarda e conservação das imagens em movimento.
Este ano foi celebrado sob o lema “Descobrir, recordar e partilhar”.
Em Angola, a Cinemateca Nacional, órgão do Ministério da Cultura, está vocacionada para as questões de conservação e preservação audiovisual, prestando poio a entidades colectivas e singulares na formulação de métodos e procedimentos para organização de arquivo audiovisual.