Neste festival, em que participou pela primeira vez, o representante angolano apresentou a peça “Rostos de Loanda a Luanda”, distinguida com o Prémio de Teatro Cidade de Luanda/2003, segundo o actor do grupo, Wime Bráulio, em declarações à Angop.
Abordado no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, aquando do “check-in”, Wime Bráulio disse que o Miragens Teatro aproveitaria a ocasião para trocar experiências com as congéneres participantes ao evento e inteirar-se sobre as técnicas utilizadas pelos grupos dos demais países.
“Decidimos apresentar a peça Rostos de Loanda a Luanda por reflectir o percurso histórico e evolutivo da cidade de Luanda, parte do quotidiano angolano e o comportamento de determinados citadinos”, disse o interlocutor, agradecendo a “Didascalhas Entreteiniments”.
“Rostos de Loanda a Luanda” retrata a vida de João Muleta, um deficiente que quando embriagado vê figuras importantes que marcaram a história de Loanda (antiga denominação da capital de Angola).
Nas suas “visões” aparecem memoráveis pessoas como Agostinho Neto, Salvador Correia de Sá e Benevides, Dom Miguel de Melo e o fundador da Cidade Paulo Dias de Novais, o grupo Ngola Ritmos, os músicos Urbano de Castro, Minguito, Luís Visconde, entre outros.