A Nissan vai abandonar de forma progressiva os motores diesel de acordo com o calendário do lançamento de novos modelos, apostando fortemente na electrificação como alternativa. Isso será evidente com a nova geração Juke, que vai surgir em 2019 sem qualquer bloco diesel. Os japoneses não são os primeiros a avançar nesta direcção. Basta recordar que a Toyota assumiu uma política semelhante ao adoptar uma estratégia onde privilegia as propostas híbridas, tanto mais que em 2017 os automóveis a gasóleo vendidos representaram apenas sete por cento das suas vendas na Europa, um número que é significativamente mais reduzido do que o atingido pela Nissan, onde estes motores tiveram um peso de 47 por cento.
Os números mostram que a opção da Nissan é muito mais ousada, mas a marca nipónica considera que não corre grandes riscos face à redução acentuada de vendas de automóveis diesel nos principais mercados europeus.