A Nissan acaba de anunciar que o GT-R50 exibido, pela primeira vez, no Festival de Velocidade de Goodwood vai deixar o estatuto de protótipo e passar à produção com pouquíssimas alterações. A marca já está a aceitar encomendas, desde que o cliente esteja na disponibilidade de pagar à volta de um milhão de euros, para se tornar proprietário de uma das 50 unidades que irão ser produzidas.
Esta edição limitada, criada em parceria com Italdesign, visa assinalar o meio século de existência do superdesportivo nipónico, bem como os 50 anos do atelier italiano que, recorde-se, é desde 2010 controlado pelo conglomerado Volkswagen, fazendo parte do grupo Audi (composto pela marca dos quatro anéis, Lamborghini, Ducati e Italdesign). Mas parece que o valor é de menos importância para os clientes mais endinheirados, a avaliar pelas declarações do director desportivo da Nissan: A reacção dos amantes da Nissan, e potenciais clientes do GT-R50, um pouco por todo o mundo, excedeu em muito as nossas expectativas”, confessa Bob Laishley, sublinhando que os 50 exemplares que serão produzidos perdurarão “durante muito tempo” como um tributo à engenharia da Nissan e à herança da marca.