A expedição ao delta do Okavango potencia o turismo e incentiva a criação e desenvolvimento da indústria cultural e criativa ao longo da zona ribeirinha, afirmou esta semana, em Luanda, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira.
A expedição, que durou quase quatro meses, contou com a participação de especialistas da África do Sul, Botswana, Namíbia e de Angola, que fizeram a recolha de informações sobre o modo de vida das populações do curso do rio Cuito até ao Botswana, e da população selvagem.
O projecto Wilderness de Okavango, que foi financiado pelo National Geographic, é um esforço plurianual para pesquisar a maior bacia do rio Cuito, a maior área húmida de água doce no sul da África e a principal fonte de água para um milhão de pessoas.
Carolina Cerqueira, que falava à imprensa à margem da sessão de lançamento oficial do documentário em Angola, afirmou que a iniciativa tem o condão de trazer a público um grande manancial de dados e informações sobre a vida selvagem angolana e o modo de vida cultural dos habitantes da região.