A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood fez história com as indicações ao Oscar 2019, esta semana. “Pantera Negra” tornou-se o primeiro filme de super-heróis a ser incluído na disputa de melhor filme, e “Roma” foi o primeiro longa metragem da Netflix a ser indicado ao prémio.
O filme do Universo Cinematográfico da Marvel concorre em sete categorias, enquanto a produção de Alfonso Cuarón foi indicada em dez, firmando-se como uma das líderes da disputa. Os dois filmes contam histórias diferentes daquelas que Hollywood costuma premiar: um é uma adaptação dos quadrinhos, situada em África, e o outro relata, em espanhol, a vida de uma empregada
doméstica de Roma.
As produções de heróis sempre foram tradicionalmente relegadas a categorias técnicas, a excepção mais notória sendo o Oscar póstumo de melhor actor coadjuvante recebido por Heath Ledger por seu retrato do Coringa, o rival do Batman, no filme “O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan.
O elogiado “Pantera Negra”, dirigido por Ryan Coogler e estrelado por Chadwick Boseman conseguiu romper essa barreira - mas quase ficou relegado a uma categoria de “filmes populares”, cuja criação chegou a ser anunciada pela Academia. Após receber fortes críticas do público e da indústria, a instituição voltou atrás, o que certamente foi determinante para a inclusão do filme na disputa de melhor filme
A Netflix, por sua vez, vinha galgando terreno no Oscar nos últimos anos, mas ainda de forma tímida. Em 2018, a plataforma saiu do evento com a estatueta de melhor documentário, por “Icarus”. Que em 2019 a empresa seja a “dona” do título mais comentado da disputa, mostrando que a Academia perdeu de vez o pudor de indicar as produções vindas de streaming - algo que é objecto de controvérsia em outros eventos tradicionais, como
o Festival de Cannes.
“Roma” garantiu indicações nas categorias de melhor director (Cuarón), actriz (Yalitza Aparicio) e filme estrangeiro, e lidera a disputa ao lado de “A Favorita”, também com dez indicações. A sátira de época sobre a vida privada da rainha britânica, Anne é candidata aos prémios de melhor filme, director (Yorgos Lanthimos), actriz (Olivia Colman) e actriz coadjuvante (Emma Stone e Rachel Weisz).
Outros indicados “Nasce Uma Estrela”, a quarta versão da história de amor que comove Hollywood há gerações, arrebatou oito indicações da academia, incluindo o filme, actriz (Lady Gaga), actor (Bradley Cooper) e canção original (“Shallow”). Cooper era dado como certo também na disputa entre os directores.
A diversidade (ou não) dos indicados ao Oscar tem sido uma questão importante em torno da premiação nos últimos anos - e a Academia mostrou que está atenta a isso com as indicações para três produções que tratam, directa ou indirectamente, do racismo: “Pantera Negra”, “Green Book - Guia” e “Infiltrado na Klan”. Spike Lee, director de “Infiltrado” foi finalmente reconhecido.