Uma estátua em homenagem à poetisa angolana Alda Lara foi inaugurada no passado dia 08 de Março no Parque dos Poetas de Oeiras em Lisboa, Portugal.
Concebida pelo arquitecto angolano Júlio Quaresma, a obra é um monumento virado à tecnologia e a uma nova leitura da escultura contemporânea, com recurso à luz que potencia a visibilidade de cada componente. De acordo com o autor, a mesma é constituída por quatro elementos quadrangulares, cada um representando fases da vida da poetisa. O primeiro simboliza a partida e o regresso, o segundo a terra de infância, o terceiro simboliza o percurso cognitivo, político e literário, enquanto o quarto, gravado com as palavras “identidade” e “liberdade”, reflete os dois elementos base do pensamento poético e da prática
vivencial de Alda Lara.
Durante a cerimónia, o embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca, salientou a importância da inauguração da escultura e enfatizou que este tipo de acontecimento mostra que a cultura angolana está em qualquer parte do mundo.
Nascida numa família abastada em Benguela aos 9 de Junho de 1930, a poetisa Alda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque, ali passou grande parte da sua infância e desempenhou um papel importante na cultura angolana.