O serviço de ginásios é um ramo de negócios que nos últimos anos se tem revelado lucrativo em Luanda, por ser cada vez maior a procura destes serviços que proporcionam bem-estar físico e mental.

A servir também como espaço de convívio, uma vez que o investimento do sector é alto e os retornos são relativamente rápidos, os ginásios já deixaram de ser vistos apenas nos hotéis e é cada vez maior o número de empresários que exploram o sector, tornando o investimento alto, porém valorizado.

Com um retorno que se mostra lento para uns e mais rápido para outros, porém seguro para todos, a procura pelos serviços de educação física é grande e o negócio cresce diariamente, sendo que a maior parte das máquinas instaladas nestes centros é de proveniência estrangeira.

O ginásio Fisio-gym, localizado no bairro Nelito Soares, rua C-5 de cima, em Luanda, há cerca de seis meses no mercado, é um dos exemplos deste segmento de negócio próspero. Com um investimento de cerca de três milhões de dólares (cerca de 280 mil milhões de kwanzas), foi totalmente equipado com máquinas de última geração e profissionais treinados para instruírem da melhor forma clientes que procuram resultados eficientes e corpos esbeltos.

O proprietário do Fisio-gym, Mário Dias dos Santos, salienta que a ideia de criar um ginásio é antiga e que foi impulsionado pela sua passagem pelos Estados Unidos da América, onde frequentou alguns ginásios. “Já frequentei muitos ginásios e pensava um dia vir a ter um onde as pessoas pudessem praticar exercícios físicos e melhorar a sua qualidade de vida. Assim, procuramos criar um estabelecimento onde as pessoas consigam ficar à vontade, sem a pressão de salas cheias e desconfortos”, salienta,
O Fisio-gym tem um total de seis salas de treino.

“Confesso que é imitação de um ginásio em Nova Iorque, o qual frequentei durante alguns anos”,  disse.

Saúde e Lazer
O Fisio-gym, além de aspecto comercial, foi estruturado também para a vertente saúde e lazer. “Criamos a pensar na saúde, no lazer e no bem-estar das pessoas. Depois de uma carga laboral e estresse do trânsito, nada melhor do que deixar toda a pressão e carga negativa com treinos”, aconselhou.

O ginásio já granjeia prestígio no mercado, fruto disto tem clientes de bairros mais distantes como Talatona, Projecto Nova vida e Golf 2, entre outros.

Com seis salas de treino, sendo: musculação, perna, cardio, manutenção, dança e artes marciais, os atletas podem combinar aulas em grupo. Uma das salas mais concorridas é a de cardio, onde as pessoas podem ter aula em grupo e gastar muitas calorias em pouco tempo. As inscrições são feitas numa taxa de seis mil kwanzas, antes de qualquer contacto com os equipamentos do ginásio, o cliente passa pela sala de avaliação física. Ali, um médico desportivo ou personal trainner, faz a devida avaliação (tirar o peso, medir a massa óssea) e cria um programa específico mediante o objectivo do cliente.

Todos os materiais de treino são vendidos na loja anexa ao ginásio, caso de luvas, suplementos alimentares, factos de treino, etc. Também há um snack-bar para acolher os acompanhantes dos clientes. O mesmo está equipado com telas que proporcionam aos visitantes um clima interactivo e internet sem fio para quem quiser navegar, enquanto aprecia um bom batido de abacate.

Mário Dias dos Santos informou que o objectivo central da criação do Fisio-gym foi pensar na saúde e qualidade de vida do cidadão. “O Fisio-gym é também um espaço de lazer e de convivência. A tão almejada qualidade de vida pode ser alcançada com educação alimentar e exercícios físicos”, lembrou.

A instituição deu emprego a 26 trabalhadores que tudo fazem para a satisfação dos clientes, cada vez mais exigentes na qualidade dos serviços que procuram. O ginásio dispõe de máquinas da marca “Legend”, sistem e scalater de última geração e oferece resultados rápidos quando bem cumpridos os planos de treino.

Projectos
O ginásio Fisio-gym pertencente ao grupo FLDS tem desenvolvido uma série de projectos no ramo da saúde. Desta forma, segundo adianta Mário Dias dos Santos o grupo pensa nos próximos tempos em investir na área da reabilitação física.

“Estamos a pensar abrir um centro de reabilitação física na especialidade de fisioterapia. Tenho apreciado que existe um défice no mercado nesta área, uma vez que os índices de acidentes rodoviários são altos e a recuperação dos doentes é uma preocupação”, advoga. Conforme assegura, o material todo já se encontra no país e tão logo as condições estejam criadas “vamos adiante com o projecto”, garante Mário Dias dos Santos.