O presidente executivo da Audi, Rupert Stadler, foi detido esta semana, na Alemanha numa altura em que decorre a investigação do caso das emissões de poluentes, segundo o “Jornal de Negócios”. A Volkswagen, empresa-mãe da Audi, já confirmou a detenção. A procuradoria adiantou que o responsável foi detido por perigo de conluio, de acordo com a Bloomberg. Rupert Stadler representa assim a figura mais proeminente entre os detidos e os suspeitos neste caso, que remonta a 2015. As autoridades justificam a detenção com o risco de contaminação de provas, segundo a agência de informação americana. A Bloomberg realça que a Volkswagen tem actualmente processos a decorrer em 55 países em todo o mundo. A empresa contabilizou mais de 27 mil milhões de euros para o pagamento de multas e outros custos associados a este processo. Em causa está o caso de manipulação de dados das emissões de poluentes por parte do grupo Volkswagen, em 2015. Escândalo que levou o antigo CEO a ser acusado de fraude, já custou cerca de 25 mil milhões.