O escritor angolano António Fonseca afirmou esta semana, em Luanda, que o actual processo de produção literária ainda não cobre as necessidades locais, devido aos custos de fabrico e de distribuição. António Fonseca fez estas declarações durante uma palestra com o tema “As problemáticas do acesso ao livro“ realizado no Centro Cultural Brasil/Angola, durante a qual informou que actual processo de produção de livros é muito caro devido a importação do material, sendo que os produzidos localmente também fica dispendioso. O palestrante pediu maior aposta do empresariado nacional neste mercado no sentido de dinamizar o sector e, sobretudo, a redução das taxas de importação de forma a facilitar o processo. O escritor reconheceu a falta de alguma estratégia comercial por parte dos empresários angolanos para que a produção, edição e distribuição de livros é uma actividade que gere algum lucro. António Fonseca realçou que a falta de capacidade para cobrir o mercado faz com que muitos deixam de ler, reduzindo assim as suas capacidades de aprendizagem. A palestra enquadrou-se no II Festival Literário Luso –Afro -brasileiro que decorre no Centro Cultural Brasil – Angola.