Nesta edição participam duas candidatas de cada país pertencente à Comunidade de Países de Língua Portuguesa, até 18 candidatas, nomeadamente de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.
De assinalar que é a primeira vez que a gala conta com a participação da Guiné Equatorial. O concurso Miss CPLP é uma iniciativa da área de cidadania com carácter intercultural e que visa a difusão e a promoção de valores sociais, culturais de inclusão no âmbito da lusofonia e a partilha do conhecimento sobre a diversidade lusófona.
Durante o período de preparação colectiva, as candidatas terão a oportunidade de promover um intenso intercâmbio cultural através da sua deslocação a diversos locais e workshops a realizar até ao dia da eleição.

Diversidade em foco

No que toca à diversidade em Foco, a moda, a política, cidadania e identidade fazem parte do tema da palestra que a organização prevê que vai ser apresentado dias antes da gala, por Jaqueline Fernandes de Sousa Silva, subsecretária da Cidadania e Diversidade Cultural da secretaria de Cultura do Distrito Federal do Brasil. O objectivo é contribuir para o desenvolvimento social e cultural e para uma cidadania mais activa entre os cidadãos da comunidade lusófona.