O preço da propriedade de Micheal Jackson, uma residência de quase 1,2 mil metros quadrados, já caiu 70 por cento. Quando o Rancho Neverland foi colocado à venda pela primeira vez, em 2015, seis anos após a morte do cantor, o preço inicial era de 100 milhões de dólares.
Nenhum comprador manifestou interesse, e dois anos depois, o preço caiu para 67 milhões de dólares para a mansão que está situada num terreno de quase 1,1 mil hectares, em Los Olivos, Califórnia (EUA). Agora a propriedade está de volta ao mercado por 31 milhões de dólares, com um desconto de 70 por cento.
A queda no valor ocorre em meio às últimas controvérsias em torno de Michael e da propriedade, levantadas pelo documentário “Leaving Neverland”, que foi ao ar no canal HBO no começo deste mês e gerou novas investigações sobre as acusações de abuso sexual contra o ícone pop. Representantes da propriedade do cantor negam as alegações e afirmaram ao “Wall Street Journal” que a desvalorização do rancho foi apenas uma coincidência. Isso traz à tona a questão se a propriedade perdeu seu valor premium, proporcionado pela associação à fama de uma celebridade.
Jonathan Miller, presidente da consultoria de propriedades Miller Samuel, diz que o valor de 100 milhões em 2015 foi proposto durante uma era de “preços aspiracionais”, quando propriedades de mais de 50 milhões de dólares chegavam ao mercado aparentemente a cada semana. Muitos corretores aproveitaram-se da fama de celebridades simplesmente para gerar buzz.