A Universidade Agostinho Neto (UAN) vai realizar, de 27 a 29 de Setembro, uma Conferência Científica subordinada ao lema “Investigar para desenvolvimento de Angola: Situação actual e desafios”, onde os académicos vão partilhar conhecimentos, anunciou esta semana, em Luanda, o seu vice-reitor para área científica, Pedro Magalhães.
Segundo o docente em entrevista à Angop, o evento insere-se nos festejos de mais um aniversário da instituição, a assinalar-se a 28 de Setembro, esperando-se ainda a divulgação dos trabalhos científicos produzidos pela UAN, assim como a procura de soluções para alguns problemas que surgem no mercado nacional. Pedro Magalhães reiterou a questão da necessidade de se tornar público os principais resultados da investigação científica realizada pela Universidade Agostinho Neto, numa perspectiva de extensão de conhecimentos e colaboração com a sociedade angolana.
“Pretendemos reunir num único fórum diversos investigadores de múltiplas áreas da ciência, tecnologia e inovação”, ao invés de debatermos os assuntos em separado por faculdades, estando previsto a troca de experiência com pesquisadores e docentes estrangeiros convidados. Nos três dias, serão apresentados resultados de investigações científicas em poster e comunicação oral, sendo a Conferência concebida em quatro painéis, dos quais sobre Ciências Sociais, Naturais, Médicas e Agrárias e Veterinárias, a fim de se dar maior ênfase ao acto e a participação activa dos estudantes, colaboradores da universidade e outros académicos.
Participam na mesma, investigadores, estudantes, docentes e representantes da sociedade em geral, perspectivando-se a troca de experiências e o estabelecimento de parcerias com certas entidades empresariais.
Referiu que estão convidados os empresários para a assinatura de acordos de cooperação na área de investigação, tendo em conta o desenvolvimento económico e sólido da investigação científica que se pretende para o futuro.
De acordo com o vice-reitor, “ a inovação provém sempre da investigação”, o que ajuda a encontrar melhores soluções e adaptação das mudanças rápidas verificadas actualmente no país, sustentou Pedro Magalhães. Segundo o entrevistado, esta oportunidade de partilha e troca de experiências levará aos estudantes a interagir com o sector produtivo, com vista ao aperfeiçoamento da teoria e a prática, estando previsto a assinatura igualmente de protocolos para o suporte dos estágios curriculares dos alunos finalistas.
Estarão presentes no evento cerca de quinze investigadores estrangeiros, incluindo dois prestigiados docentes africanos, que vão também apresentar o resultado das suas investigações e participar da mesa-redonda sobre “O contributo da investigação científica no desenvolvimento de Angola”.