No mais recente leilão de divisas, realizado esta semana pelo Banco Nacional de Angola e em que participaram um total de 18 bancos, os 300 milhões de dólares postos à disposição da banca comercial foram absorvidos na totalidade, de acordo com o comunicado do BNA.
Os bancos compraram os cambiais sob uma taxa média ponderada (aquela em que para cada valor se leva em conta o valor do seu peso)
de 316,201 kwanzas.
Naquele que foi o leilão 45, o Banco Nacional de Angola e os bancos operadores fixaram as taxas de oferta num mínimo de 317,15 e máximo de 315,751 kwanzas, de onde achou-se a média ponderada.
No início do mês, o banco central fez saber que para este período de Março vai vender ao todo divisas equivalentes a 700 milhões de dólares (setecentos milhões de dólares dos Estados Unidos da América), por via de leilões de preço (venda de divisas) e de quantidade (plafonds para cartas de crédito), numa frequência diária, para todas as finalidades, incluindo liquidação de cartas de crédito, atendimento as casas de câmbio e operadoras de remessas.
Em Janeiro e Fevereiro, o banco central disponibilizara já também 700 milhões de dólares em cada um dos períodos para atender os compromissos da economia.
Ainda segundo o BNA, após cada sessão, divulgará, no seu portal institucional, o montante disponibilizado, o número de participantes, as taxas de câmbio máxima e mínima admitidas bem como a taxa de câmbio média resultante da sessão.

Quadro anterior
No mês de Fevereiro, o BNA, que pusera também à disposição da banca um valor equivalente a 700 milhões de dólares, realizou 21 sessões. Nelas, a maior frequência foi de 21 bancos, no dia 05, e a menor de 10 no dia 14.
Quanto a valores disponibilizados numa só sessão, a fasquia mais alta foi de 204 milhões de dólares oferecidos e 149,5 milhões efectivados no dia 12 com a participação de 15 bancos. Naquele período, a taxa média ponderada mais baixa foi de 314,721 kwanzas e a mais alta é de 316.078 kwanzas, respectivamente.Nos leilões de Fevereiro, pelo menos em três ocasiões, designadamente nos leilões 27, do dia 7, o 30 de 12 e o 32 de 14, os bancos não efectivaram a totalidade dos valores que foram oferecidos, ou seja faltou liquidez em kwanzas para que os operadores pudessem cooptar as divisas que ao mercado estavam reservadas.
Facto é que nesse trimestre do ano, a banca nacional deverá absorver na totalidade 2,1 mil milhões de dólares durante os leilões realizados pelo BNA.