Quanto às receitas petrolíferas, Angola registou ganhos anuais de 41.8 por cento ao alcançar os 2.5 mil milhões de dólares de receitas de exportação, em Fevereiro. Tal foi justificado pelo incremento de 71.4 por cento observado no preço médio das ramas angolanas, o qual foi suficiente para contrapor a evolução negativa (-17.3) da quantidade de
barris exportados pelo país.
Para os cofres do Estado, o registo foi um ganho anual de 22.3 e uma queda de 30.5 por cento, o que revela receitas arrecadadas na ordem dos 666.4 milhões, de dólares em Fevereiro. Embora tenha havido uma recuperação de 3.4 por cento do preço médio e se tenha retomado a cobrança do ITP, as quedas de 6.4 e de 43.5 por cento da exportação petrolífera e da receita da concessionária, respectivamente, foram as principais razões apontadas.