Empresários de Cuba estão a preparar uma visita a Angola, entre os meses de Março e Abril de 2020, para se inteirar das potencialidades que o país oferece. A delegação cubana será integrada por empresários cujas empresas já operam em Angola e outros que pretendem iniciar a sua actividade no mercado. A informação foi avançada terça-feira última durante a realização do fórum de negócios e empresarial que decorreu à margem da 37ª edição da Feira Internacional de Havana (FIHav), aberta segunda-feira com termino amanhã . Segundo uma nota de imprensa que o JE teve acesso, durante o fórum, a Câmara de Comércio de Cuba e a congénere de Angola assinaram um memorando de entendimento que consubstancia-se na troca de experiênciae na criação de parcerias. A nota acrescenta que os empresários cubanos mostraram bastante interesse em relançar a cooperação entre as partes, tornando as relações comerciais mais dinâmicas e bilateralmente frutíferas. O fórum serviu para as partes apresentarem a carteira de negócios e as oportunidades de investimento, bem como assinar o memorando que visa intensificar a interacção entre os empresários dos dois países. O secretário-geral do Ministério do Comércio, Francisco Beny, que chefia a delegação angolana reafirmou a disponibilidade de o ministério de tutela em continuar a prestar apoio institucional aos investidores cubanos que queiram operar em Angola ou colaborar com investidores nacionais. Por seu turno, o representante da Câmara de Comércio e Indústria de Angola, Adalberto Capingana, considerou que o actual contexto social de Angola é oportuno para os investidores. “Entre outras virtudes, Angola tem uma população jovem, muitas terras aráveis e um clima tropical com uma média de 8 meses de tempo chuvoso por ano, o que nos permite produzir toda a sorte de culturas próprias das zonas tropicais”, disse. Em função disso, encontra-se em Havana, uma delegação multi-sectorial chefiada pelo secretário-geral do Ministério do Comércio, Francisco Eduardo Beny, em representação do ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem Júnior. Além dos membros da direcção do Ministério do Comércio, a delegação integra representantes do sector mineiro, da energia, águas, entre outras empresas do sector público/privado. No certame, a atracção de investimentos e parcerias é um dos principais alvos de Angola junto de alguns sectores que são de interesse para o empresariado cubano. Sal, madeira, mel, rochas ornamentais, bens e serviços, entre outros. A nota acrescenta que a comunicação social cubana tem divulgado com destaque a participação de Angola no evento, enaltecendo as boas relação entre o povo angolano e o cubano, evidenciando o potencial de Angola no novo contexto social. Angola quer ver aumentada a participação de Cuba na produção e consumo dos bens e serviços feitos em Angola, considerando a experiência cubana no ramo do Turismo, da Educação e da Saúde, entre outros, que podem levar alguns empresários a elegerem Cuba como destino privilegiado das exportações de Angola, principalmente daqueles produtos que constam do plano para a diversificação da economia.