O Banco Nacional de Angola suspendeu, esta semana, a actividade de um total de 19 operadores financeiros não bancários, que actuavam na praça nacional.
São ao todo cinco (5) casas de câmbio, onze (12) sociedades de microcrédito e outros dois (2) operadores de pagamento e transferência de dinheiros.
Embora no comunicado que fez sair na sua página de internet, esta semana, não venham explicadas as razões da retirada das licenças, admite-se que a situação actual, gerada por fraca disponibilidade de divisas, esteja na origem da medida do BNA, que dá um prazo máximo de trinta (30) dias, a contar da data da publicação do comunicado, para que sejam feitas participações junto do Departamento de Regulação e Organização do Sistema Financeiro sobre eventuais dívidas das mesmas.
As operadoras abrangidas pelas medidas foram: Somicre Pagamentos, S.A; Mundifast Transfer, S.A.; Madama - Sociedade de Microcrédito, S.A.; Machege - Sociedade de Microcrédito, S.A.; Nedcrédito - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Africrédito - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Money Crédito Angola, Lda.; Pricrédito - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Credisumbe - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Naosu - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Crediangola - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Kofeleféle - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Suncred - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Crediflox - Sociedade de Microcrédito, Lda.; Jagina - Casa de Câmbios, Lda.; Novacambila - Casa de Câmbios, Lda.; Top One - Casa de Câmbios, Lda.; Panamoney - Casa de Câmbios, Lda. e Mukanda - Casa de Câmbios, Lda.