Um grupo de trabalhadores do ex-Banco Postal realizou, há dias, em frente ao edifício-sede do Banco Nacional de Angola (BNA) uma manifestação a reivindicar sobre eventuais incumprimentos dos direitos indemnizatórios de que teriam direito, após liquidação e perda dos postos de trabalho.
O vice-governador Rui Miguêns aproveitou a ocasião para com dois representantes dos manifestantes ouvir das preocupações e prestar os necessários esclarecimentos.
Conforme uma nota do banco central, a reclamação dos trabalhadores consiste na falta de pagamento das indemnizações devidas por parte do ex Banco Postal em consequência da revogação da sua licença e declaração de falência, nos termos da lei. Sobre o assunto, foi esclarecido aos manifestantes que, uma vez revogada a licença por imperativos legais e devolvidos os depósitos dos depositantes, apenas após o julgamento da falência e nomeação judicial do respectivo administrador da massa falida, serão pagos, na ordem de prioridade estabelecida pela lei, todos os credores do banco, nos quais se incluem os trabalhadores.
Neste sentido, os trabalhadores do ex-Banco Postal foram aconselhados a aguardar com serenidade pelo desfecho do processo que se encontra já em tratamento pelas autoridades judiciais  competentes.