O Banco Nacional de Angola (BNA) vendeu, no mês de Abril, à banca comercial um valor global de 418,3 milhões de euros, para atender às diferentes operações de importação e pagamentos ao exterior. Este valor está muito abaixo dos 735,9 milhões que vendera em Março para o mesmo efeito.
Contudo, vale ressaltar que em dois meses, isto é Março e Abril, o banco central pôs à disposição dos diferentes operadores comerciais, por via da banca nacional, a quantia de 1,17 mil milhões de euros, o que revela a preocupação da entidade reguladora cambial em permitir que as operações fundamentais com o exterior ocorram sem sobressaltos.
De acordo com os boletins semanais do BNA, compilados pelo JE, nas sete (7) operações de leilões cambiais efectuadas no mês de Abril, a quarta sessão, ocorrida a 17 de Abril, foi a que absorveu maiores recursos ao beneficiar o mercado com 150 milhões de euros numa só vez. Apenas a primeira sessão aproximou-se destes valores, pois nela haviam sido disponibilizados 100 milhões de euros.
As restantes operações das semanas subsequentes absorveram as quantias de 50; 35; 25 e 20 milhões de euros cada, respectivamente.
A título especial, o BNA realizou, a 13 de Abril, e isso já no âmbito da sua estratégia de redução do número de operações cambiais pendentes de execução, uma venda de divisas para a cobertura de salários de trabalhadores expatriados do sector não exportador. Para tal fim, foi colocado o montante de 38,3 milhões de euros à taxa de câmbio de 268,46 kwanzas/EUR, concluindo-se o processo de regularização do pagamento de salários que aguardavam por cobertura cambial na banca comercial.

Rigidez na contratação
No quadro das suas responsabilidades cambiais e face ao momento que enfrenta a economia nacional, no que respeita à obtenção de cambiais, o banco central recomendou às entidades empregadoras residentes que no acto de contratação, renovação ou revisão dos contratos de trabalho com impacto na balança de pagamentos tenham em conta o contexto actual de menor disponibilidade cambial, de correcção de preços em curso na economia e o cumprimento estrito da regulamentação cambial em vigor.
O BNA assumiu como preocupação a melhoria do desempenho da balança de pagamento, que vai de encontro à constatação segundo a qual, o kwanza é a quarta moeda mundial mais instável no cômputo das que operam nos mercados nacionais, dados avançados ao público pelo governador José de Lima Massano, do Banco
Nacional de Angola (BNA).