O Banco Millennium Atlântico (BMA) com 88 negócios efectivados e 51,4 mil milhões de kwanzas gerado foi, nos meses de Outubro e Novembro, o membro da Bodiva que mais recursos captou em Obrigações e Bilhetes do Tesouro, de um total de 118,9 mil milhões de kwanzas contabilizados na plataforma no período.
Da leitura que se faz ao “Dashboard” publicado na página de internet da Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), há um grupo de sete bancos que, regra geral, comanda os negócios de compra e venda de Títulos do Tesouro, dos quais se destacam o BFA, BAI e o próprio Millennium Atlântico (ver mais nos gráficos).
Os dados a que o JE acessou dão conta que em Outubro o preço médio das Obrigações do Tesouro esteve cotado nos 102,74 kwanzas, enquanto que a mesma referência, em Novembro, fixou-se nos 101,01. Já as Obrigações não Reajustáveis (OTNR) em Outubro tiveram um preço médio de 85,36 e
em Novembro 83,77 kwanzas.
Em termos discricionários, no mês de Outubro, dos 76.966 milhões de kwanzas negociados, 972,5 milhões efectivaram-se no Ambiente Bilateral e os outros 75.994 milhões no Multilateral.
Quanto as maturidades, 27.380 milhões de kwanzas foram captados em Títulos de 2020; 19,343 milhões nos de 2021, 14.711 milhões para os de 2022, 8.983 milhões, de 2024, e 6.165 milhões nos de 2023.
Em termos de números de negócios mensais efectivados por membros, quem maior indicador registou, em Outubro, foi o Banco de Fomento Angola (BFA) ao totalizar 156. Tal resultado põe o banco com 1.860 lances no total deste ano. Todavia, foi o Millennium Atlântico com 42.503 milhões de kwanzas, contra os 34.567 milhões do BFA, quem mais facturou em negócios naquele mês. seguiram-se no top 7 o Sol, com 35.583 milhões posicionou-se na segunda posição, entre o Atlântico e o Fomento. O Banco Internacional de Crédito (BIC), em Outubro levou 12.039 milhões de kwanzas, de 21 negócios; o Banco Económico (BE) 10.319 milhões, de 23 negócios; o Banco de Negócios Internacional (BNI) surge com 8.943 milhões, de 24 negócios, e o Regional Keve com 4.156 milhões, de 24 negócios concretizados, no fecho do ranking dos sete mais de Outubro.