”Alexa, pergunte ao JPMorgan qual é o preço-alvo da acção da Apple.” Os clientes institucionais do JPMorgan Chase agora podem obter esta resposta rapidamente através da assistente virtual comandada por voz desenvolvida pela Amazon.com.
O banco e a gigante de e-commerce fizeram uma parceria para dar aos utilizadores de Wall Street mais uma forma de aceder ao conteúdo de research do JPMorgan. A Alexa envia relatórios de analistas e materiais relacionados. O banco também está a testar outros recursos, como informar preços de títulos e contratos de swap, disse David Hudson, responsável global pela execução em mercados da instituição
sediada em Nova Iorque.
Assistentes de voz “claramente estão a tornar-se algo a que as pessoas estão habituadas”, afirmou Hudson. “A ideia é aproveitar a informação que está em algum sítio do banco, que por regra alguém precisa de procurar ou que demora ou exige autenticação, e entregar por outro canal.”
À medida que os hábitos dos clientes evoluem, as empresas tentam encontrar maneiras de adaptar tecnologias populares do retalho ao mundo dos negócios. O JPMorgan é um dos primeiros a oferecer a Alexa aos clientes institucionais, mas outros bancos já usam o serviço nas operações de consumo. A seguradora New York Life Insurance, por exemplo, está a montar programas que usam a Alexa para os seus funcionários.
Os consumidores estão mais dispostos a usar assistentes de voz para monitorizar as suas contas, de acordo com um estudo.